quinta-feira, 24 de março de 2011

"Nevoeiro", Fernando Pessoa

          O primeiro-ministro (em minúsculas) demitiu-se; a dívida pública e privada é gigantesca; os juros exigidos pelos empréstimos que contraímos são descomunais; a crise está aí em todo o seu esplendor.

          Sobre a CRISE, ou crises, escreveu Pessoa na Mensagem o poema «Nevoeiro», precisamente o que encerra a obra:


NEVOEIRO

Nem rei nem lei, nem paz nem guerra,
Define com perfil e ser
Este fulgor baço da terra
Que é Portugal a entristecer –
Brilho sem luz e sem arder,
Como o que o fogo - fátuo encerra.

Ninguém sabe que coisa quer,
Ninguém conhece que alma tem,
Nem o que é mal nem o que é bem.
(Que ânsia distante perto chora?)
Tudo é incerto e derradeiro.
Tudo é disperso, nada é inteiro.
Ó Portugal, hoje és nevoeiro...

É a hora!


          O poema aponta claramente para um clima de degradação da pátria, de melancolia e tristeza, enfatizado pelo recurso a palavras e expressões que revelam negatividade ("Nem rei nem lei"; "Brilho sem luz", etc.), em suma, um ambiente de crise a vários níveis: político ("Nem rei nem lei, nem paz nem guerra"); moral ("Ninguém sabe que coisa quer, / (...) nem o que é mal, nem o que é bem"); de identidade ("ninguém conhece que alma tem"). A situação de Portugal era, portanto, de incerteza e indefinição. Ontem, tal como hoje: "Ó Portugal, hoje és nevoeiro...".

          Assim sendo, as circunstâncias exigem um golpe de asa, um esforço conjunto de resgate da situação disfórica que se vive. Parafraseando Pessoa, «É a hora!».

3 comentários :

Anónimo disse...

Seu blog é muіtо útil. Muito obгigado рara a ρrestação аbunԁânсiа de сontеúdo útіl.
Tenho marcar o seu blog e ѕеrá, sem dúvida, voltar.

Maіs uma vez, agradеço todo o seu trabalhо e também comеing aqui раra cοmunicar comigo.
Visit my site :: simpatia para O amor Voltar

Anónimo disse...

Um blog com idiologia bem formadas, e este poema de Pessoa vem mesmo a calhar nesta crise, estamos a virer um clima de nevoeiro

Henrique de Almeida Cayolla disse...

Este poema faz parte também da minha crónica Nº 139 - Mensagem , de Fernando Pessoa, publicada no meu blog http://novidadesdehenriquealmeidacayolla.blogspot.com
Teria muito gosto em que visualizassem essa crónica, e já agora, estivessem atentos ao Blog.
O DESESPERO ESTÁ A TOMAR CONTA DE MUITOS PORTUGUESES,A REVOLTA CRESCE, MAS NÃO SE PODE FICAR PELAS PALAVRAS:« É A HORA!».

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...