segunda-feira, 17 de julho de 2017

Regência do verbo "informar"

     A regência do verbo informar é um daqueles casos bicudos da língua portuguesa, à semelhança do que sucede com outros verbos, como, por exemplo, gostar.

     A regra, porém, é simples:

     1. Usamos a preposição "de" ("informo de que") sempre que está referida a entidade
          que informamos (informar alguém de algo):
                    - Informo os caros alunos de que o teste foi adiado.
                    - O PM informou o país de que os impostos iriam descer.

     Nos exemplos apresentados, as expressões "os caros alunos" e "o país" desempenham a função sintática de complemento direto, enquanto "de que o teste foi adiado" e "de que os impostos iriam descer" são orações subordinadas substantivas completivas que desempenham a função sintática de complemento oblíquo.


     2. Usamos "informar que" (portanto omitimos a preposição "de") quando a entidade
          a quem informamos não está presente na frase:
                    - Informo que o teste foi adiado.
                    - O PM informou que os impostos iriam baixar.

     Neste caso, a oração completiva desempenha a função sintática de complemento direto.

Sem comentários :

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...