segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

"Relatório Minoritário", de Philip K. Dick


     Os Estados Unidos irradicaram quase o crime, graças a um sistema inovador de prevenção, denominado Precrime, cujo autor é John Anderton. E é justamente no dia em que este está a explicar ao seu novo assistente, Witwer, o complicadíssimo funcionamento daquele sistema que o seu próprio nome é expedito pelo sistema informático: John Anderton irá matar um homem, Leopold Kaplan, general reformado do Exército da Aliança do Bloco Ocidental.
     Quando Anderton se prepara para fugir, é levado sob ameaça de uma arma, à presença de Kaplan. Aí, Anderton revela pensar tratar-se de um embuste para o afastar da agência e ser substituído pelo novo assistente. E, de facto, é difundido um comunicado em que é solicitada a entrega do potencial homicida John Anderton ao Comissário Witwer.
     Quando é transportado para a polícia no carro de Kaplan, este sofre um violento acidente e Anderton é retirado do seu interior por um misterioso homem, de nome Fleming, que lhe confirma tratar-se de uma cilada, da autoria da mulher de Anderton. O homem fornece-lhe falsos documentos e aconselha-o a permanecer oculto nos próximos sete dias.
     Através da TV fica a saber que, dos três, apenas duas mutantes previram o seu crime, pelo que o seu interesse se volta todo para a obtenção do relatório do terceiro mutante, o relatório minoritário.
     Com a ajuda de Page introduz-se no edifício e obtém uma cópia do relatório que o inocenta, mas é surpreendido pela mulher, em cuja nave partem os dois. Ela tenta provar-lhe que ele tem de ser detido para que a Precrime continue a funcionar. Caso prove a sua inocência, isso significará o descrédito da polícia. Assim, Anderton deverá sacrificar-se pelo bem de todos, sacrificar a sua segurança pessoal pelo sistema. Lisa, a mulher, aponta-lhe uma arma e obriga-o a regressar à polícia quando intervém um terceiro passageiro da nave - Fleming. Este controla a situação e pretende assassinar Lisa, sufocando-a, mas Anderton põe-no inconsciente e descobre que é um elemento da Liga Internacional de Veteranos, organização dirigida por Kaplan. Anderton decide então entregar-se a Witwer.
     A ordem de prisão é anulada e Anderton explica que tudo não passou de um esquema montado por Kaplan para restaurar o poder e a influência do exército, graças ao descrédito do Precrime. A estratégia consiste em provar publicamente, através do relatório minoritário, que o sistema tem andado a prender inocentes e em exigir o desmembramento da polícia.
     A solução para o evitar consiste, segundo Anderton, em assassinar Kaplan. E, quando este, está a expor publicamente a sua tese, pega no relatório minoritário, vacila e é atingido a tiro por Anderton.
     A explicação do caso surge quando este e a esposa se preparam para partir em direção a Centaurus X. Os três relatórios foram elaborados em diferentes dimensões temporais. No primeiro, Anderton sabia da conspiração de Kaplan e matava-o de seguida; o segundo baseou-se no primeiro e no conhecimento que Anderton tinha da informação do primeiro e de que o seu único objetivo era conservar a sua posição e não matar Kaplan: no caso do último, Anderton percebera qual era, realmente, o jogo de Kaplan e decidira, efetivamente, assassiná-lo. Isto é, o segundo relatório anulou o primeiro; o terceiro, o segundo; o terceiro era o relatório válido, pois, após este, não apareceu outro a contrariá-lo.

Sem comentários :

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...