domingo, 12 de dezembro de 2010

Complemento agente da passiva

                O complemento da agente da passiva é a função sintática desempenhada, numa frase passiva, por um grupo preposicional introduzido pela preposição por (e suas contrações: pelo, pela etc.) ou, mais raramente, pela preposição de, precedida(s) de um verbo na passiva.
                Esta função sintática só existe quando a frase se encontra na forma passiva e com verbos transitivos diretos, isto é, que «pedem» complemento direto na forma ativa.
Exemplos:                      predicado
a) O bolo foi comido pelo João.
sujeito              complemento agente da passiva

b) O carro é conduzido por ti.

c) O caso é conhecido de todos.
                Pelos exemplos apresentados se conclui que o complemento agente da passiva faz parte do predicado.

                Quando se transforma uma frase ativa em passiva, ocorrem as seguintes transformações:

1.ª) o sujeito da frase ativa torna-se complemento agente da passiva da passiva na frase passiva:
‑ Fr ativa: O gato comeu o rato.
sujeito
‑ Fr passiva: O rato foi comido pelo gato.
c. agente da passiva

2.ª) o complemento direto da frase ativa torna-se sujeito da frase passiva:
‑ Fr ativa: O gato comeu o rato.
complemento direto
‑ Fr passiva: O rato foi comido pelo gato.
sujeito

3.ª) o verbo principal da frase ativa é conjugado, na passiva, no particípio passado e é introduzido o verbo auxiliar «ser», conjugado no mesmo tempo em que se encontrava o verbo principal da ativa:
‑ Fr ativa: O gato comeu o rato.
verbo principal no pretérito perfeito
        |‑ Fr passiva: O rato foi comido pelo gato.
verbo auxiliar         verbo principal no particípio passado
«ser» no
pretérito perfeito


4.ª) os demais elementos da frase, se os houver, mantém-se inalterados:
‑ Fr ativa: Ontem, pelas onze horas, o gato comeu o rato na cozinha.
‑ Fr passiva: Ontem, pelas onze horas, o rato foi comido pelo gato na cozinha.

                Por outro lado, note-se que o complemento agente da passiva pode surgir:
a) em frases passivas, com o verbo auxiliar «ser« seguido de particípio (os exemplos analisados até aqui):
. A Maddie foi raptada por um louco.
b) em estruturas participiais, isto é, sem o verbo auxiliar expresso:
. Este é um caso conhecido de todos.


18 comentários :

  1. obrigado isto ajudou-me mais do que a minha professora muito obrigado ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. verdade ajudoume mais doke a minha stora!! :) beijao

      Eliminar
    2. Isto não presta para nada.

      Eliminar
  2. obrigada so consegui perceber isto quando vim aqui a minha professora na ensinou nada disto muito obrigada mesmo

    ResponderEliminar
  3. obrigada muito obrigada fiquei a perceber muito melhor do que com a minha professora

    ResponderEliminar
  4. obrigada por esta ajuda, fi a perceber imenso...

    ResponderEliminar
  5. hey,
    mas e se nos pedirem para indicar a função sintatica de 'pelo o gato' na seguinte frase:

    O rato foi papado pelo gato.

    sem referencias a uma frase activa. devemos responder que é
    1. complemento agente da passiva
    2. complemento indirecto

    obrigado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. aqui a frase já está na passiva assim como escrevs-te portanto passa automaticamente a complemento agente da passiva

      Eliminar
  6. «O rato» - sujeito;
    «foi papado pelo gato» - predicado;
    «pelo gato» - complemento agente da passiva.

    ResponderEliminar
  7. Obrigada , já relembrei melhor (: hehehe

    ResponderEliminar
  8. Muito obrigada por me terem ajudado a perceber melhor o que era o complemento agente da passiva, fiquei a perceber melhor com isto do que com a minha professora

    ResponderEliminar
  9. muito obrigado fiquei bem esclcida

    ResponderEliminar
  10. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  11. obrigao por isto . fiquei a perceber melhor

    ResponderEliminar
  12. muito bom o seu site! brigadao pela resposta!:)

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...