domingo, 18 de março de 2012

Sujeito

          1. Definição

          De acordo com a gramática tradicional, o sujeito era aquele que praticava (O João comeu a maçã. - voz ativa) ou sofria a ação (O rato foi comido pelo gato.).

          O sujeito é a função sintáctica desempenhada pelo constituinte da frase que controla a concordância verbal (em número e pessoa). Constitui, juntamente com o predicado, uma função central a nível da frase:
          . Os meus irmãos são pouco inteligentes.
          . O Antunes fugiu de casa.
          . Figueira é uma pequena vila.
          . Esse livro que tu compraste é muito interessante.
          . Chegaram as prendas do Eusébio.
          . Quem vai ao ar perde o lugar.
          . Espanta-me que os alunos estudem tão pouco.
          . É verdade que o Benfica jogou mal.
          . Ela ter namorado deixa-me abismado.
          . Ela é linda!
          . Isso é mentira!

* * * * * * * * * *

          2. Posição

          Geralmente, o sujeito surge à esquerda do verbo:
                    . O Benfica derrotou o Beira-Mar.

          No entanto, pode surgir também após o verbo:
                    . Desapareceu o Jaime Graça..
                    . Espanta-me que o Benfica tenha perdido oito pontos seguidos.
                    . Surgiu um contratempo

* * * * * * * * * *

          3. Representação
.
          O sujeito pode ser representado por um grupo nominal ou por uma frase.

               » Grupo nominal:

                         . um determinante e / ou quantificador e um ou mais nomes:
                                   . O Vítor não cantou.
                                   . Os meus filhos são os meus tesouros.
                                   . Todos aqueles filmes me agradam.
                                   . Aquele golo foi irregular.
                                   . O Tancredo e a Maria fugiram para Paris.

                         . um nome:
                                   . Lisboa é uma cidade antiquíssima.
                                   . Cantar faz bem à alma. (Neste caso, estamos perante uma
                                     forma verbal substantivada - cantar -, verificando-se um fenó-
                                     meno de derivação imprópria ou conversão).

                         . um pronome:
                                   . Elas são lindas!
                                   . Eu vi-te na feira.
                                   . Isso é um disparate.

                         . um nome com modificador:
                                   . Uma bela mulher foi entronizada. (adjetivo + nome)
                                   . Os alunos que conheço são preguiçosos. (oração adjetiva
                                      relativa junto do nome)
                                   . O golo madrugador foi insuficiente. (nome + adjetivo)
                                   . A Dânia Neto, uma bela mulher, pousou para a Playboy.
                                     (nome + modificador do nome apositivo)

                         . um nome com complemento:
                                   . O treinador do Benfica farta-se de inventar.


               » Oração:

                         . uma oração subordinada substantiva completiva:
                                   . É preciso que o governo governe bem.
                                   . É proibido dar calduços.
                                   . É evidente que assim não seremos campeões.

                         . uma oração subordinada substantiva relativa:
                                   . Quem leu Os Maias receberá dois chocolates.
                                   . Quem cala consente.

          Quando o sujeito é constituído por um grupo nominal ou uma oração subordinada substantiva relativa, pode ser substituído por um pronome pessoal, na forma nominativa, com o qual o verbo concorda:
                         . A televisão avariou. ® . Ela avariou.
                         . Eu e tu assassinámos o poema. ® . Nós assassinámos o poema.

          Quando o sujeito é constituído por uma oração, pode ser, muitas vezes, substituído por um pronome demonstrativo:
                         . É pena que tenhamos perdido. ® . É pena isso.
                         . Foi lamentável que o árbitro não tivesse visto aquele fora-de-
                           -jogo® Foi lamentável aquilo.
.
* * * * * * * * * *
 .
        4. Teste

          Para identificar o sujeito de uma frase, podemos formular uma pergunta ao verbo com os interrogativos Quem ou O que, colocados antes do verbo:
                         . O Cardozo marcou dois golos. ® Quem marcou (dois golos)?
                            ® Resposta: O Cardozo (= sujeito).
                         . A televisão avariou. ® O que avariou? ® Resposta: A televisão (=
                           sujeito).
.
* * * * * * * * * *
.
          5. ClassificaçãoTipos de sujeito

1. Sujeito simples: o sujeito é constituído por um grupo nominal (cujo núcleo é um nome ou um pronome):
          . Ele é inteligente.
          . Esta mulher não é bonita.
     ou por uma oração:
          . Quem muito fala pouco acerta.
          . Quem tudo quer tudo perde.
          . É provável que o Benfica não seja campeão este ano.


2. Sujeito composto: o sujeito é constituído por mais do que um grupo nominal:
          . O Pedro e a Regina casaram-se.
          . Eu e tu falamos alto.
          . Eu e a Joaquina casámos.
     ou por mais do que uma oração:
          . Quem arrisca e quem sabe o que quer só não consegue se não quer.
          . Quem espera e quem tem paciência alcança os seus objetivos.
     ou pela combinação de um grupo nominal e de uma oração:
          . A Dora e quem tu sabes namoram desde ontem.
          . O Antunes e quem o ama foram de férias para a Guatemala.


3. Sujeito nulo

          O sujeito é um elemento frásico sintaticamente obrigatório, mas nem sempre está expresso na frase. Quando tal sucede diz-se que o sujeito é nulo.
          Existem três tipos de sujeito nulo:

     3.1. Sujeito nulo subentendido: o sujeito não está expresso na frase (isto é, não tem realização lexical), mas pode ser recuperado pelo contexto e pela flexão verbal (pessoa e número):
          . Vamos fazer o copianço para o teste de Português. ® sujeito: nós.
          . Estou ansioso pelo Benfica - Braga. ® sujeito: eu.

     3.2. Sujeito nulo indeterminado: o sujeito não tem realização lexical e ocorre quando o verbo se encontra na 3.ª pessoa do plural ou do singular, acompanhado, neste caso, do pronome pessoal se com valor impessoal. Por outro lado, o sujeito nulo indeterminado pode ser parafraseado por «alguém», «há quem», «há pessoas que».
          . Dizem que o professor de Português vai faltar na quarta-feira.
          . Estuda-se pouco em Portugal.
          . Falou-se muito no acidente de ontem no Chile.
          . Diz-se que há corrupção no futebol.
          . Bebe-se demasiado álcool em Portugal.
          Quem disse? Quem falou? Quem diz? Quem bebe?
           Nenhuma das frases permite responder a cada uma das perguntas, daí concluirmos que o sujeito das quatro formas verbais é indeterminado.

     3.3. Sujeito nulo expletivo: o sujeito não tem interpretação e ocorre com verbos impessoais:

          . formas verbais referentes e a fenómenos da natureza:
                    . Anoiteceu.
                    . Choveu.
                    . Nevou na Serra da Estrela.

          . o verbo «haver» com sentido de existir:
                    . Há alunos que não respeitam os professores.

          . o verbo «haver» no início de determinados textos narrativos:
                    . Há muitos anos, eu tinha cabelo.

          . o verbo «ser»:
                    . São dezanove horas e dezanove minutos.


          No entanto, determinadas regiões e determinados grupos sociais realizam o sujeito nulo expletivo recorrendo à forma pronominal pessoal ele, resultando daí uma ênfase da ação ou evento:
                    . Ele muito trovejou hoje!
                    . Ele há cada coisa!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...