domingo, 25 de março de 2018

Emprego dos pronomes demonstrativos

     O uso dos pronomes demonstrativos depende de um conjunto de especificidades que estão relacionadas com o local onde se encontra aquele de quem se fala, a localização do locutor e do seu interlocutor, bem como com a ideia de tempo passado e futuro.



ESTE / ESTA / ISTO


  • O pronome demonstrativo ESTE surge empregado com as flexões exigidas pelo contexto, ou seja, acompanha os nomes família, esposa e filhos.
  • Em termos de localização, o mendigo (aquele que fala) encontra-se próximo da família (esposa e filhos).
  • Ele apresenta a família ao dono da loja (aquele que ouve), que está relativamente afastado do grupo.
     Resumindo, os pronomes ESTE(S), ESTA(S) e ISTO podem ser usados em frases em que a primeira pessoa do discurso esteja explícita ou oculta ou que contenham os pronomes me, mim, comigo e o advérbio locativo aqui.

     Por outro lado, ESTE pode vir combinado com as preposições de [deste(s), desta(s), disto] ou em [neste(s), nesta(s), nisto].

Texto em português do Brasil
("Antes de entrar no elevador, verifique se o
mesmo se encontra parado neste andar.
Lei estadual n.º 9502/97")
     Os pronomes demonstrativos a que nos estamos a referir indicam também a posição temporal e revelam proximidade no tempo em relação à pessoa que fala. A forma ESTE emprega-se para o hoje, para o tempo presente ou futuro próximo. Vejamos alguns exemplos.
          Exs.:
               . Este é o ano do penta do Benfica.
               . Pretendo recomeçar a andar de bicicleta ainda nesta semana.



ESSE / ESSA / ISSO

     Os pronomes demonstrativos de segunda pessoa pressupõem que o locutor está relativamente próximo do interlocutor.


     O emprego desses pronomes observa o seguinte:
  • ESSE surge conjugado, de forma explícita ou não, com os pronomes pessoais de segunda pessoa do discurso [tu, te, ti, contigo, você(s)].
               - Essa caneta que está aí contigo é tua?
  • Ao nível da expressão do tempo, remetem para o passado relativamente próximo do momento em que se fala.
               - Essa noite dormi mal.
  • ESSE (e as suas variações) pode combinar-se com as preposições de (desse, dessa, disso) e em (nesse, nessa, nisso).
               - Em agosto, fez muito calor. Nesse mês, tive de dormir várias vezes na 
                 varanda.


AQUELE /AQUELA / AQUILO


     Como se pode observar pela tira de BD, os pronomes demonstrativos de terceira pessoa indicam distância entre os interlocutores e o "item" referido.
  • Os demonstrativos indicam também tempo passado ou bastante vago.
               - Aquele ano de 2001 foi trágico.
  • AQUELE (e suas flexões) pode combinar-se com a preposição a (àquele, àquela, àquilo), de (daquele, daquela, daquilo) e em (naquele, naquela, naquilo).
               - Em 1980, Sá Carneiro vivia com uma mulher com quem não era
                  casado. Naquela época, a sociedade portuguesa era bem mais
                  conservadora.

     A tira seguinte sintetiza o uso dos pronomes demonstrativos de acordo com o espaço ocupado pelo locutor em relação aos seus interlocutores.



Os pronomes demonstrativos e o discurso textual
  • O demonstrativo de 1.ª pessoa atua no interior do discurso para se referir ao que será enunciado.
               - Presta atenção a estas orientações.
               - O Benfica é tetra: este facto dói a muito boa gente.
  • O demonstrativo ESTE e variações retomam o nome imediatamente anterior.
               - O ar poluído afeta os pulmões; estes devem ser preservados.
               - Eça escreveu Os Maias. Esta é uma obra-prima.
  • Os demonstrativos de segunda pessoa fazem referência ao que já foi enunciado no discurso.
               - Amor ao próximo, solidariedade, respeito pelo outro; esses são alguns
                 dos valores exigidos para você vir a ser um voluntário social.
  • Aquele surge em oposição a este quando os termos a que se refere são mais distantes relativamente aos últimos citados.
               - Eça de Queirós e Miguel Torga são grande nomes da literatura
                 portuguesa. Este pela sua poesia e contos; aquele pelos seus
                 romances.


     Dos dois nomes mencionados, o mais próximo é o de Miguel Torga (este) e o mais distante é o de Eça de Queirós (aquele).


     Este post foi indecorosamente plagiado de outro, da autoria de Marta Mendonça [aqui].

Principais indicadores de resultados escolares por disciplina – 3.º ciclo, 2011/12 − 2015/16


     A DGEEC apresenta uma série temporal de cinco anos com a evolução dos principais indicadores de resultados escolares, por disciplina, no quinquénio entre 2011/12 e 2915/16 [série].
     No documento, é analisado o desempenho escolar dos alunos em cada disciplina do 3.º ciclo do ensino básico geral, em escolas públicas de Portugal Continental.
     Esta publicação constitui uma extensão do estudo "Resultados Escolares por Disciplina - 3.º ciclo, 2014/15", que pode ser consultado aqui [estudo].

Pronomes demonstrativos


     Qual é o erro desta vez?

     O pronome demonstrativo este retoma o nome imediatamente anterior do discurso. Ora, no início do excerto apresentado, encontramos isto: "Daniel Raimundo, o emigrante português que emocionou o País, morreu depois de uma batalha contra um tumor. Este estava a viver na Bélgica...". Neste caso, o pronome "este" remete para o grupo nominal "um tumor", de acordo com a regra acima enunciada.
     O 'jornalista', ao escrever o texto da forma apresentada, está a informar que o tumor estava a viver na Bélgica. É óbvio para qualquer leitor que ele se queria referir ao malogrado Daniel Raimundo, porém a 'ignorância gramatical' do noticiarista produziu apenas um pedaço de humor negro. Poderia, perfeitamente, ter escrito "O adepto sportinguista" (ou algo do género), ou utilizado o pronome pessoal "ele", ou ainda o demonstrativo "aquele", em suma, poderia ter optado por várias construções, exceto... "este".
     Já agora, qual o motivo que o levou a usar a maiúscula no nome país?

Obs.: Pode esclarecer as dúvidas sobre o uso dos pronomes demonstrativos neste post [uso dos pronomes demonstrativos].

Ponto sobre o Rio Dão e Nicho do século XVIII

Nicho do séc. XVIII
Ponte sobre o Rio Dão - concelho de Penalva do Castelo

Rio Dão


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...