segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Uma outra visão dos testes PISA

     "(...)
     O prémio maior coube aos professores (mais até do que aos alunos), pois à partida ninguém dava nada por eles. Não é fácil ser professor quando a escola é a instituição mais sacrificada pelos poderes que se legitimam pelos critérios da «opinião» e já não tem validade a regra que diz: «a família educa e a família instrui»:
     Os dois campos [os críticos da ideologia da avaliação e os defensores das provas e exames] não se aliaram apenas num comum regozijo. Aliaram-se também na difusão de uma ideia fraudulenta do que são os testes PISA (acrónimo de Program for International Student Assessment). Eles não avaliam a aquisição de conhecimentos fixados pelos programas escolares, mas as competências ou atitudes entendidas como necessárias para uma vida adulta autónoma, para resolver os problemas da «vida real» e da «vida futura». (...) São testes que medem «competências gerais» (por exemplo, pede-se ao aluno que descubra as regras de funcionamento de um novo aparelho de ar condicionado cujo manual de instruções se perdeu), ou seja, o grau de literacia em três domínios: a leitura, as ciências e a matemática.
     (...) Miserável e incompetente seria a escola que transpusesse para os seus métodos e os seus programas o que é requerido pelo PISA. Uma das críticas mais insistentes a estes testes (sim, eles são muito criticados, ainda que por cá só suscitem um respeito venerando) é o facto de colocarem questões bizarras sobre situações irreais; e de avaliarem saberes, aquisições e comportamentos estritamente miméticos; e de estarem obcecados com a "«literacia» e as «competências» enquanto ferramentas para a vida pragmática e para a integração nos mercados (sim, porque estes testes não são nada neutros). Mas também são criticados por isto: as «performances» dos alunos testados variam consoante eles foram mais ou menos treinados pelos professores para superar as manhas e os truques dos testes e evitar as armadilhas. De tal modo que uma das críticas mais frequentes é a de que eles não medem o que pretendem medir.
     Os testes PISA são uma espécie de rendimento intelectual mínimo para pobres escolarizados. Pobre da escola, pobres dos alunos, pobres dos professores, quando legitimados por um capital que, embora não devam negligenciar, é de fraco rendimento e perigoso como orientação."

António Guerreiro, in Público

"I Saw Three Ships", Marlborough Cathedral Choir

domingo, 18 de dezembro de 2016

Feliz Navidad", Jose Feliciano

Adeus, obrigatoriedade dos 'popup' de aceitação de 'cookies'

     Pelo que tem vindo a ser noticiado, os internautas europeus vão deixar de ser confrontados com a obrigatoriedade de clicarem em todos os sítios que visitam para aceitarem os respetivos "cookies".

     A notícia desenvolvida pode ser encontrada aqui: abertoatedemadrugada.

sábado, 17 de dezembro de 2016

Inflação de notas


     E novidades?

Rankings 2016

     Aí estão de volta os rankings de escolas.
     A sua publicação não traz nada de novo, apenas serve de pretexto para o mesmo de sempre:
          . a menorização da chamada escola pública;
          . o panegírico do ensino privado.
     E pouco mais se aproveita disto. O efeito regulador dos resultados das provas nacionais pouco importa. A perceção do porquê muito menos. Sobretudo, a procura de soluções e caminhos tendentes à resolução dos problemas que deles ressaltam - soluções a sério, não meras proclamações de intenções, ou faz-de-conta, ou produção de sucesso à martelada - está completamente afastada das mentes que os trabalham, publicam e comentam.

     Não obstante a nossa relativa indiferença perante este circo anual, aqui ficam, para a posteridade, os que a CS deu à luz:

          . Diário de Notícias;
          . Expresso;
          . Jornal de Notícias;
          . Público;
          . Rádio Renascença.

     Até para o ano, quando o circo descer de novo à atualidade.

"Something about Christmas Time", Bryan Adamas


(1985)

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

"A Kind of Christmas Card", Morten Harket


1995

O pénis humano já teve osso


     De acordo com um estudo científico recente, citado pelo jornal britânico "The Guardian", o pénis dos homens já possuiu um osso, o baculum, existente ainda em diversos mamíferos, como os macacos, por exemplo.
     De acordo com os investigadores, o osso ter-se-á desenvolvido nos mamíferos há cerca de 95 milhões de anos e era maior nos machos que mantinham relações sexuais com uma duração superior a 3 minutos. Esta seria uma forma de o macho garantir, por um lado, que a fêmea engravidava e, por outro, que ficava afastada dos demais machos.
     O osso terá 'desaparecido' do pénis humano há, aproximadamente, 1,9 milhões de anos, na época do Homo Erectus, em resultado da monogamia e da velocidade do acasalamento. De facto, com o surgimento das relações monogâmicas, o homem deixou de sentir a obrigação de penetrar a fêmea durante muito tempo, visto que desapareceu o perigo de outros homens tentarem acasalar com ela.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Tom Sawyer - Episódio 8: "A todo o vapor"

Modalidade III (G 41)

& Modalidade e valor modal

1. Complete o quadro, referindo a modalidade e o(s) recurso(s) utilizado(s) para exprimir o valor modal (tipo de frase, adjetivo, advérbio, modo ou tempo verbal, verbo com valor modal, auxiliar modal).

Frases
Modalidade
Recurso(s)
1. Escrevam, por favor!



2. Vocês têm de estudar mais.



3. Lamento que Leonard Cohen tenha falecido.



4. Podem assassinar as mocas que conspurcam a sala.



5. É provável que não haja segundo teste.



6. O Eusébio marcou um golo.



7. Talvez eu falte amanhã.




2. Identifique a modalidade dos enunciados apresentados. Selecione a opção correta com uma cruz (X).

Frases
Modalidade
Epistémica
Apreciativa
Deôntica
1. Não me interrompam!



2. O Sporting não venceu o Praiense.



3. Que belo dia!



4. Tens de ler mais livros, Pafúncio!



5. Agora será tarde para me entregares o trabalho, Josefina.



6. O Sporting venceu o Praiense. Quem diria!



7. Fumar à vontade!



8. Acho que Donald Trump não é primo do Pato Donald.



9. O Dr. Pulquério já terá falecido?



10. Se me lembro a tempo (= Se me lembrasse…), visitaríamos Mafra em dezembro.



11. Caaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaalem-se!



12. Pedro Dias pode ter assassinado duas pessoas e ferido uma.



13. Podem ler o poema que desejarem.



14. Eça de Queirós parecia-se com a mãe.



15. Falhámos a vida, menino!



16. Joaquina, não GRITES!




3. Identifique o valor modal de cada enunciado, assinalando as opções corretas.

3.1. O enunciado “As conclusões das inspeções que fizemos estão disponíveis on-line.” tem um valor modal de
(A) probabilidade.
(B) permissão.
(C) obrigação.
(D) certeza.

3.2. O enunciado “Os norte-americanos deixaram Donald Trump chegar à Casa Branca.” tem um valor modal de
(A) permissão.
(B) obrigação.
(C) certeza.
(D) probabilidade.

3.3. O enunciado “Acho que as eleições vão ser repetidas.” tem um valor modal de
(A) obrigação.
(B) permissão.
(C) probabilidade.
(D) certeza.

3.4. O enunciado “Não gostei da nova professora de Alemão.” tem um valor modal de
(A) obrigação.
(B) apreciação.
(C) permissão.
(D) probabilidade.

3.5. O enunciado “Devemos ajudar o presidente do Sporting neste momento difícil.” tem um valor modal de
(A) certeza.
(B) probabilidade.
(C) permissão.
(D) obrigação.

3.6. O enunciado “Tenho de corrigir os testes mais depressa.” tem um valor modal de
(A) obrigação.
(B) permissão.
(C) certeza.
(D) probabilidade.

3.7. O enunciado “Portugal venceu o Europeu de futebol de 2016.” tem um valor modal de
(A) probabilidade.
(B) certeza.
(C) obrigação.
(D) permissão.

3.8. O enunciado “Hoje, deixo-vos sair mais cedo.” tem um valor modal de
(A) obrigação.
(B) certeza.
(C) permissão.
(D) probabilidade.

3.9. O enunciado “É provável que chova amanhã.” tem um valor modal de
(A) certeza.
(B) obrigação.
(C) probabilidade.
(D) apreciação.

3.10. O enunciado “Talvez chova amanhã.” tem um valor modal de
(A) certeza.
(B) probabilidade.
(C) obrigação.
(D) permissão.

3.11. O enunciado “É forçoso que todos leiam a peça de teatro.” tem um valor modal de
(A) certeza.
(B) permissão.
(C) obrigação.
(D) apreciação.

3.12. O enunciado “Os Simpsons chegaram ontem de férias.” tem um valor modal de
(A) probabilidade.
(B) obrigação.
(C) certeza.
(D) permissão.

3.13. A exclamação “Fantástico golo!” tem um valor modal de
(A) apreciação.
(B) certeza.
(C) permissão.
(D) obrigação.

3.14. O enunciado “Podem namorar durante as aulas de Português.” tem um valor modal de
(A) certeza.
(B) obrigação.
(C) permissão.
(D) probabilidade.



4. Reescreva os enunciados apresentados, construindo outros com os valores modais indicados.

4.1. A minha mãe foi internada.
Permissão: ________________________________________________________________
Obrigação: ________________________________________________________________

4.2. A Inês passa a ferro antes de vir para a escola.
Permissão: ________________________________________________________________
Obrigação: ________________________________________________________________

4.3. O Vlad disse a verdade.
Apreciação: _______________________________________________________________
Probabilidade: _____________________________________________________________

4.4. A Cláudia remendou o pneu do triciclo.
Probabilidade: _____________________________________________________________
Obrigação: ________________________________________________________________

4.5. Festejaremos o aniversário do Pinóquio no estômago da baleia.
Probabilidade: _____________________________________________________________
Obrigação: ________________________________________________________________


quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

John Glenn

1921 - 2016

Aspeto Verbal III - Correção (G 40)

1.
A – 2                                     G - 1
B – 1                                     H - 4
C – 3                                     I - 2
D – 2                                     J - 1
E – 4                                     K - 3
F – 4                                     L - 5

2.
a) Homem prevenido vale por dois.
Valor genérico

b) No Algarve, as noites de verão costumam ser sufocantes.
Valor / situação habitual

c) Finalizei esta ficha às seis da madrugada.
Valor perfetivo

d) No último mês, o Pacheco tem participado quase todas as aulas.
Valor iterativo

e) O professor falava e o Diogo ia conversando com a Rita. Seu malandro!!!
Valor imperfetivo

f) A Margarida é sempre a primeira a oferecer-se para ler.
Valor / situação habitual

g) É sempre assim: mal acorda, a Ana olha o seu telemóvel.
Valor / situação habitual

h) Ultimamente, Maria de Noronha tem tossido muito.
Valor / situação iterativo

3.

Frases
Valor aspetual
Perfetivo
Imperfetivo
Genérico
Habitual
Iterativo
1. O João e a Joana namoraram três meses.
X




2. Tenho ouvido dizer muitas vezes que certo clube é corrupto.



X

3. A Ana tem recebido muitas mensagens.




X
4. O cinema abre todas as semanas.



X

5. O João telefonou ao irmão.
X




6. A Maria está a catar as carraças do cão.

X



7. A Ernesta tem perguntado pelo Pedro Dias.




X
8. A Madeira é mais quente do que a Beira Alta.


X


9. Por enquanto, os sírios têm resistido a tudo.




X
10. Estou sempre disposto a dar-vos trabalho, queridos alunos.



X

11. Cada escravo recebia cem chicotadas.

X



12. A Lara gritou tão alto que os vidros das janelas se partiram.
X





4.1. C

4.2. D

4.3. C

4.4. B

4.5. D

4.6. B

4.7. C

4.8. A

4.9. C

4.10. B

5.

Frases
Valor aspetual
Situação estativa
Evento durativo
Evento não durativo
1. O filho da Katy nasceu.


X
2. As crianças brincaram durante toda a manhã.

X

3. A Terra é o terceiro planeta do nosso sistema solar.
X


4. A Joana gosta do João.
X


5. A professora de Anatomia partiu a sua delicada pernoca.


X
6. O Vlad falou com a namorada durante cinco horas.

X

7. O professor de Português caiu da cadeira.


X
8. Esse sapato pertence à Cinderela.
X


9. José Saramago escreveu o Memorial em seis meses.

X


6.

1. Pintores / pintar / quadros / campo
Valor imperfetivo: Os pintores estão a pintar os seus quadros no campo.
Valor habitual: Os pintores costumam pintar os seus quadros no campo.
Valor iterativo: Os pintores têm pintado os seus quadros no campo.

2. Dr. Diogo / atender / pacientes
Valor imperfetivo: O Dr. Diogo atendia os seus pacientes.
Valor habitual: O Dr. Diogo costuma atender alguns pacientes.
Valor iterativo: O Dr. Diogo tem atendido alguns pacientes.

3. Professora de Mandarim / usar / minissaia
Valor imperfetivo: A professora de Mandarim está a usar uma minissaia.
Valor habitual: A professora de Mandarim está a usar uma minissaia.



Consultar ficha aqui.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...