quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Correção do Teste Intermédio de Português - 9.º ano - 2014

Versão 1

Grupo I

Documento áudio: http://www.rtp.pt/play/p354/e131324/1-minuto-pela-terra.


1.1. Sugestões de boas práticas relativamente ao papel:
          - Optar pelo papel reciclado;
          - Usar papel com menos gramagem;
          - Rentabilizar as folhas:
                    . Alargar o espaço de escrita: alargar as margens laterais,
                      o rodapé e o cabeçalho.

1.2. Sugestões de boas práticas relativamente ao processo de impressão:
          - Imprimir em modo de rascunho;
          - Reduzir o tamanho da letra;
          - Usar tinteiros ou toners reciclados;
          - Reciclar os tinteiros.
          - Adquirir modelos de impressoras menos consumidoras de energia;
          - Não deixar as impressoras em «stand by»;
          - Imprimir nos dois lados da folha (frente e verso).

2.1. C

2.2. B

2.3. D

2.4. B




Grupo II

1. O poeta refere-se ao presente ("Obedecem", "agora" - v. 1) e ao passado ("fartaram-se" - v. 6, "dançavam" - v. 12).

2. Com efeito, a relação do poeta com as palavras foi mudando ao longo do tempo. Assim, ele passou a sentir mais dificuldade em as dominar,  como se pode constatar pelo facto de elas resmungarem, não lhe obedecerem / o ignorarem ("não fazem caso do que lhes digo" - vv. 3-4), não respeitarem a idade dele ("não respeitam a minha idade." - v. 5), se escaparem por entre os dedos e lhe arreganharem os dentes, caso o poeta as tentasse reter (vv. 16-18).

3. Nestes versos, o poeta procura identificar as razões que originaram a mudança na relação com as palavras, as quais se resumem ao seu rigor para com elas e à sua «indiferença / pelo fogo de artifício» (vv. 8-9). Ao usar o advérbio «Provavelmente», o poeta sugere que duvida, que não tem a certeza de que as razões para a mudança sejam as apontadas.

4. Nessa interrogação, o poeta sugere que talvez tenha sido ele mesmo quem mudou, e não as palavras, tendo passado a procurar as mais difíceis («já só procuro as mais encabritadas?" - v. 19).

5.
     1)
          . Aspeto do poema: o poeta refere-se à sua relação com as palavras.
          . Aspeto da entrevista: o poeta explica o modo como escreve versos, como
                                             elabora um poema.

     2) O poeta refere que as palavras resmungam, não lhe obedecem, escapam das suas
          mãos, arreganham-lhe os dentes. Todos estes dados apontam para a ideia de que
          a escrita de um poema é uma tarefa complexa.

     3) Concordância: a comparação sugere que há aspetos comuns entre o trabalho do
                                 poeta ao escrever o poema e o do oleiro ao fazer o vaso, pois
                                 ambos exigem dedicação, empenho, minúcia e persistência.



Grupo III

1.
a) de certo

b) senão

c) demais

d) conquanto

2.
- Pessoa: segunda;
- Número: singular;
- Tempo: futuro;
- Modo: conjuntivo.

3.1. A

3.2. D

4.
a) Só nos empenharemos no trabalho, se nos orientarem.

b) Oxalá ele te traga o novo livro do teu autor preferido.

c) Alguém o encontrou num curso de pintura.

* * * * * * * * * *

Versão 2

Grupo I

Documento áudio: http://www.rtp.pt/play/p354/e131324/1-minuto-pela-terra.


1.1. Sugestões de boas práticas relativamente ao papel:
          - Optar pelo papel reciclado;
          - Usar papel com menos gramagem;
          - Rentabilizar as folhas:
                    . Alargar o espaço de escrita: alargar as margens laterais,
                      o rodapé e o cabeçalho.

1.2. Sugestões de boas práticas relativamente ao processo de impressão:
          - Imprimir em modo de rascunho;
          - Reduzir o tamanho da letra;
          - Usar tinteiros ou toners reciclados;
          - Reciclar os tinteiros.
          - Adquirir modelos de impressoras menos consumidoras de energia;
          - Não deixar as impressoras em «stand by»;
          - Imprimir nos dois lados da folha (frente e verso).

2.1. D

2.2. C

2.3. A

2.4. C



Grupo II

1. O poeta refere-se ao presente ("Obedecem", "agora" - v. 1) e ao passado ("fartaram-se" - v. 6, "dançavam" - v. 12).

2. Com efeito, a relação do poeta com as palavras foi mudando ao longo do tempo. Assim, ele passou a sentir mais dificuldade em as dominar,  como se pode constatar pelo facto de elas resmungarem, não lhe obedecerem / o ignorarem ("não fazem caso do que lhes digo" - vv. 3-4), não respeitarem a idade dele ("não respeitam a minha idade." - v. 5), se escaparem por entre os dedos e lhe arreganharem os dentes, caso o poeta as tentasse reter (vv. 16-18).

3. Nestes versos, o poeta procura identificar as razões que originaram a mudança na relação com as palavras, as quais se resumem ao seu rigor para com elas e à sua «indiferença / pelo fogo de artifício» (vv. 8-9). Ao usar o advérbio «Provavelmente», o poeta sugere que duvida, que não tem a certeza de que as razões para a mudança sejam as apontadas.

4. Nessa interrogação, o poeta sugere que talvez tenha sido ele mesmo quem mudou, e não as palavras, tendo passado a procurar as mais difíceis («já só procuro as mais encabritadas?" - v. 19).

5.
     1)
          . Aspeto do poema: o poeta refere-se à sua relação com as palavras.
          . Aspeto da entrevista: o poeta explica o modo como escreve versos, como
                                             elabora um poema.

     2) O poeta refere que as palavras resmungam, não lhe obedecem, escapam das suas
          mãos, arreganham-lhe os dentes. Todos estes dados apontam para a ideia de que
          a escrita de um poema é uma tarefa complexa.

     3) Concordância: a comparação sugere que há aspetos comuns entre o trabalho do
                                 poeta ao escrever o poema e o do oleiro ao fazer o vaso, pois
                                 ambos exigem dedicação, empenho, minúcia e persistência.



Grupo III

1.
a) senão

b) de certo

c) conquanto

d) demais

2.
- Pessoa: segunda;
- Número: singular;
- Tempo: futuro;
- Modo: conjuntivo.

3.1. D

3.2. A

4.
a) Só nos empenharemos no trabalho, se nos orientarem.

b) Oxalá ele te traga o novo livro do teu autor preferido.

c) Alguém o encontrou num curso de pintura.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...