quarta-feira, 15 de junho de 2016

Exame Nacional de Português 12.º ano - 1.ª fase - 2016 - Correção

Grupo I

1. As antíteses exprimem o contraste entre os valores ensinados aos filhos (valentia, justiça e lealdade / honestidade) e a realidade quotidiana, caracterizada pela covardia, injustiça e deslealdade. Assim, Matilde evidencia a hipocrisia (linha 10) que vigora na sociedade, pois esta defende, aparentemente, os valores inicialmente referidos, mas premeia exatamente o oposto e quem não os pratica.
     Entre as linhas 9 e 14, a personagem interroga-se, ironicamente, se não seria preferível ensinar os filhos a viverem em conformidade com a hipocrisia, para que assim possam viver em paz e alcançar a felicidade.

2. De facto, entre as linhas 23 e 51, é evidente uma alteração do estado de espírito de Matilde.
     Com efeito, após manifestar toda a sua indignação e revolta relativamente a uma sociedade onde campeiam a covardia, a injustiça e a deslealdade, a personagem fica subitamente nostálgica e sonhadora ao recordar os tempos de felicidade e os sonhos vividos ao lado do general Gomes Freire de Andrade ["Relembrávamos (...) ... os dias felizes que passámos juntos... o tempo em que sonhávamos voltar a esta malfadada terra..." - linhas 42 e 43]. Ora, a transição entre os dois estados de espírito é marcada pelo uniforme do general, que ela retira da gaveta de uma cómoda.
     Por outro lado, o uniforme constitui uma forma de presentificar o general, nomeadamente no momento em que o acaricia com ternura, como se estivesse a acariciar o ex-companheiro. A partir desse gesto, ela rememora a vida de ambos juntos e idealiza uma outra vida que poderiam ter tido, caso o general "tivesse sido menos homem" (linha 31).

3. Com aquelas palavras, Matilde refere-se a Portugal, uma "terra hostil a tudo o que é grande" (linha 54), uma terra onde se "cortam as árvores", isto é, se perseguem e condenam os que se destacam pela sua grandeza moral, pela luta e defesa da justiça e da lealdade (neste caso, o general Gomes Freire de Andrade), para não fazerem "sombra aos arbustos", ou seja, os que são injustos, cobardes e desleais.



Texto A


4. Efeitos da passagem do tempo na vida do sujeito poético:
          a) a vida é uma "peregrinação" longa e cansativa;
          b) a consciência da brevidade / efemeridade da vida;
          c) a consciência do discurso breve e vão;
          d) o crescimento do "dano";
          e) a ausência de esperança, transformada em desilusão.

5. O verso 8 remete para o desengano e a falta de esperança do sujeito poético, esperança essa que se transforma em (des)ilusão.
     A ideia expressa no referido verso concretiza-se nos dois tercetos, nos quais o sujeito poético revela que procura o bem, o qual não alcança (verso 9). De facto, a demanda desse bem é um caminho longo, durante o qual cai, "falece" e perde a confiança. Por fim, perde-o de vista ("da vista se me perde"- v. 14), facto que faz emergir o desalento e o desânimo.



Texto B

Grupo II

             Versão 1               Versão 2

1.               C                           A

2.               A                           D

3.               B                           A

4.               C                           B

5.               B                           D

6.               D                           C

7.               D                           B

8. Oração subordinada adverbial consecutiva.

9. O valor da oração é explicativo.

10. Função sintática: sujeito.

27 comentários :

  1. Colega, gostaria de saber se esta proposta de correção da escolha múltipla é sua.
    Obrigada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A proposta chegou-nos através da colega do agrupamento que lecionou às turmas do 12.º ano.

      Em razão da sua pergunta, notou nesta proposta alguma incorreção?

      Eliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. A 7. é mesmo texto expositivo? Pensei que fosse argumentativo.

    ResponderEliminar
  4. poderia confirmar a pergunta 7 da gramatica? a minha professora disse que era argumentativo...

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim é mesmo isso! Reli agora mtas vezes e não tinha visto o contexto da frase toda, por isso eliminei o comentário. Obrigada pelo esclarecimento :)

      Eliminar
    2. Não tens que agradecer tal como tu fiz e o exame e surgem esse tipo de dúvidas!
      De qualquer das formas espero que obtenhas o resultado desejado

      Eliminar
  7. Boa tarde
    Eu tenho uma questão mais global, eu tirei o curso de informatica de gestão acabei com 13 valores , quero entrar em contabilidade e auditoria que tem a media de 119.7. Alguem me sabe dizer quanto tenho de tirar nos dois exames tanto neste de portugues como no de economia?

    ResponderEliminar
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  10. Boa tarde. Não sei se tenho razão. Mas suponho que na questão 4 das escolhas múltiplas a opção não seja "do uso dos conhecimentos científicos" mas a opção "da posse do saber científico pelo homem". Não tem lógica que os "perigos da ciência" decorram do uso dos conhecimentos científicos mas da posse do saber científico pelo homem. No texto diz explicitamente "Mas a ativadade que o homem exerce ou pode exercer no mundo, uma vez em posse do conhecimento científico, é sempre arriscada." Na versão 1 acho que seja a A, mas se for realmente a C, gostava que me conseguissem explicar. Obrigada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    2. concordo completamente

      Eliminar
    3. A resposta certa deverá ser a utilização do conhecimento científico, pois pode possuir o saber, porém se não o utilizar, não causará dano algum.

      Eliminar
    4. A resposta certa deverá ser a utilização do conhecimento científico, pois pode possuir o saber, porém se não o utilizar, não causará dano algum.

      Eliminar
  11. A 5 não responde à pergunta. Não há referência aos tercetos.

    ResponderEliminar
  12. A atividade que decorre da posse do conhecimento é que é errada. E por atividade entenda-se o uso que é feito do conhecimento cientifico.

    ResponderEliminar
  13. A 10 também podia ser predicativo do sujeito?
    Como existe um verbo copulativo...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. o predicativo do sujeito é inevitável. Se fizesse este raciocínio "é inevitável "Isto"(= que vivamos permanentemente sob ameaças) e colocássemos na ordem direta, ex. Isto é inevitável, verificaria que Isto (=que vivamos permanentemente sob ameaças) seria o sujeito e que inevitável seria o predicativo do sujeito

      Eliminar
    2. O valor da oração é explicativo ou apositivo. Poderia se usar uma outra ? é porque no exame de epoca especial 2014 nos criterios aperece "(Valor) explicativo ou (Valor) apositivo" e aqui so aparece valor explicativo e eu usei o valor apositivo.

      Eliminar
  14. na pergunta 9,se dissesse que o autor faz o seu juízo de valor e apreciação crítica,estaria errado

    ResponderEliminar
  15. na pergunta 9,se dissesse que o autor faz o seu juízo de valor e apreciação crítica,estaria errado

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...