sábado, 16 de novembro de 2013

Relações de oposição: antónimos

. Antonímia (de «anti-» = em oposição a + «-onímia» = nomes): designa a relação de oposição que se estabelece entre duas ou mais palavras com significados opostos.
alto / baixo
gordo / magro
rápido / lento
eficaz / ineficaz
homem / mulher
                Apesar de os antónimos serem palavras de sentido oposto, possuem, todavia, alguns traços semânticos que as aproximam. Por exemplo, «homem» e «mulher» designam dois géneros, no entanto têm em comum o traço semântico «ser humano».

                A relação de antonímia, por outro lado, pode ser de três tipos:

a. Antonímia contrária / graduável: entre duas ou mais palavras de significado contrário existem um ou mais conceitos intermédios, significando que a relação de oposição é graduável.
Exemplos:
quente / frio – quente / morno / frio
cheio / vazio – cheio / meio / vazio

b. Antonímia contraditória: os significados das palavras excluem-se mutuamente.
Exemplos:
homem / mulher
macho / fêmea
solteiro / casado
presente / ausente
vivo / morto

c. Antonímia conversa: as palavras antónimas podem ser substituídas na frase desde que haja uma inversão da ordem sintática dos elementos, isto é, a relação de oposição obriga que, havendo inversão dos termos na frase, se utilize outra palavra para manter o mesmo sentido.
Exemplos:
Eu dei um presente ao João.
O João recebeu um presente meu.

O Miguel é filho da Maria.
A Maria é mãe do Miguel.
               Este tipo de antonímia ocorre predominantemente nos domínios das relações de parentesco (pai / filho), das relações sociais (credor / devedor; médico / paciente) e das relações temporais e espaciais (antes / depois; em cima / em baixo).

Sem comentários :

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...