segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Pronome pessoal em adjacência verbal

                Os pronomes pessoais apresentam formas tónicas e formas átonas.

                As formas tónicas são aquelas que desempenham as funções sintáticas de sujeito (eu, tu, você, ele / ela, nós, vós, vocês, eles / elas), de complemento oblíquo (mim, comigo, contigo, consigo, connosco, convosco, etc.) ou de complemento agente da passiva (mim, ti, si, etc.).

                As formas átonas são as que desempenham as funções sintáticas de complemento direto (me, te, se, o, a. nos, vos, se, os, as) ou complemento indireto (me, te, lhe, nos, vos, lhes).

                As formas átonas ocorrem em adjacência verbal, isto é, junto ao verbo, podendo ser ocorrer em três posições: à direita do verbo (em ênclise), no meio do verbo (em mesóclise) e à esquerda do verbo (em próclise).

A. À direita do verbo

1. Regra geral: de um modo geral, os pronomes pessoais átonos colocam-se à direita do verbo, em  posição enclítica, ligando-se a ele por um hífen.
Exs.:
. A Joana comprou um telemóvel.A Joana comprou-o.
. A Marta telefonou à mãe.A Marta telefonou-lhe.

2. Alterações na forma dos pronomes

2.1. Quando a forma verbal termina em –r, -s ou –z, esta consoante cai e os pronomes (o, a, os,  as) passam a –lo, -la, -los, -las.
Exs.:
. A Joana estava a fumar um cigarro.A Joana estava a fumá-lo.
. Queres um café?Quere-lo?
. Hoje a Maria traz a sua amiga Manuela.Hoje a Maria trá-la.

2.2. Quando a forma verbal termina em –m ou ditongo nasal, os pronomes pessoais (o, a, os,  as) passam a –no, -na, -nos, -nas.
Exs.:
. Os alunos fizeram teste.Os alunos fizeram-no.
. A galinha põe o ovo na palha. → A galinha põe-no na palha.


B. Integrados no verbo

3. Quando a forma verbal se encontra no futuro do indicativo (simples ou composto) ou no  condicional (simples ou composto),
a) o –r do radical cai;
b) os pronomes tomam a forma –lo, -la, -los, -las
c) e colocam-se em posição mesoclítica, isto é, entre o radical do verbo e as terminações verbais.
Exs.:
. O Benfica vencerá o Nápoles.O Benfica vencê-lo-á.
[O Benfica venceR-o-á. > o R cai e o pronome passa a –lo > vencê-lo-á]
  radical
. Eu jogaria futebol se tivesse pés.Eu jogá-lo-ia se tivesse pés.

                Observe-se a conjugação de dois verbos no tempo e modo indicados.

Futuro do indicativo
verbo + pronome o
verbo + pronome lhe
Eu amá-lo-ei (amar + o + ei)
Eu telefonar-lhe-ei (telefonar + lhe + ei)
Tu amá-lo-ás (amar + o + ás)
Tu telefonar-lhe-ás
Ele amá-lo-á (amar + o + á)
Ele telefonar-lhe-á
Nós amá-lo-emos (amar + o + emos)
Nós telefonar-lhe-emos
Vós amá-lo-eis (amar + o + eis)
Vós telefonar-lhe-eis
Eles amá-lo-ão (amar + o + ão)
Eles telefonar-lhe-ão

Condicional
verbo + pronome o
verbo + pronome lhe
Eu amá-lo-ia (amar + o + ia)
Eu telefonar-lhe-ia (telefonar + lhe + ia)
Tu amá-lo-ias (amar + o + ias)
Tu telefonar-lhe-ias
Ele amá-lo-ia (amar + o + ia)
Ele telefonar-lhe-ia
Nós amá-lo-íamos (amar + o + íamos)
Nós telefonar-lhe-íamos
Vós amá-lo-íeis (amar + o + íeis)
Vós telefonar-lhe-íeis
Eles amá-lo-iam (amar + o + iam)
Eles telefonar-lhe-iam


C. À esquerda do verbo

                Os pronomes pessoais átonos colocam-se antes do verbo, em posição proclítica, nas seguintes situações:

a) Em frases que contêm palavras com valor negativo.
Exs.:
. A minha mãe não fez o jantar.A minha mãe não o fez.
. Ninguém viu a falta sobre o Ederson.Ninguém a viu.
. Nunca liguem os telemóveis durante as aulas de Português.Nunca os liguem durante as aulas de Português.
. Jamais faria isso.Jamais o faria.

b) Em frases interrogativas, iniciadas por pronomes, determinantes ou advérbios interrogativos.
Exs.:
. Quem fez esta cábula?Quem a fez?
. Que professores acompanham a turma a Mafra?Que professores a acompanham a Mafra?
. Como capturaste essa cobra?Como a capturaste?

c) Em frases exclamativas (que exprimem desejo ou emoção, frequentemente começadas por palavras que induzem ou reforçam esse desejo / essa emoção).
Exs.:
. Bons olhos te vejam!
. Que o Benfica vença amanhã o Nápoles.Que o Benfica o vença amanhã.

d) Em frases em que o verbo é antecedido de advérbios como “ainda”, “apenas”, “aqui”,  “até”, “bem”, “já”, “logo”, “mal”, “também”, “talvez”, “sempre”, “só”, etc.
Exs.:
. Ainda não comprei as prendas de Natal.Ainda não as comprei.
. Os alunos apenas tratavam o cão por compaixão.Os alunos apenas o tratavam por compaixão.
. vi a Jennifer Lawrence nua.a vi nua.
. Talvez o Benfica vença o Nápoles.Talvez o Benfica o vença.

e) Em frases cujos verbos são antecedidos de pronomes indefinidos como “alguém” ou “algo”.
Exs.:
. Alguém disse essa mentira.Alguém a disse.
. Algo aconteceu ao avião da TAP.Algo lhe aconteceu.

f) Em frases cujos verbos são antecedidos de quantificadores existenciais (“bastante”,  “muito”, “pouco”) ou quantificadores universais (“ambos”, “qualquer”, “quaisquer”,  “todo”, “tudo”).
Exs.:
. Todos assobiaram o árbitro.Todos o assobiaram.
. Ambos disseram uma mentira.Ambos a disseram.

g) Em orações subordinadas (relativas ou introduzidas por um conjunção subordinativa).
Exs.:
. O jogador que marcou o golo gosta de pêssegos.O jogador que o marcou gosta de pêssegos.
. Quem ofendeu o João foia Joana.Quem o ofendeu foi a Joana.
. Rui Vitória disse que o Benfica marcou dois belos golos.Rui Vitória disse que o Benfica os marcou.
. O réu perguntou se podia corromper o juiz.O réu perguntou se o podia corromper.

h) Nas orações coordenadas com polaridade negativa ou disjuntivas.
Exs.:
. Ou te portas bem ou vais para a Sala de Estudo.
. Nem estudas a lição nem fazes o trabalho.Nem a estudas nem o fazes.
. Não só a escola elogiou o Ernesto como também o promoveu. [= como promoveu o Ernesto] → Não só a escola o elogiou como também o promoveu.

i) Em frases em que o falante foge à ordem padrão para enfatizar algo.
Ex.: Querias um olho à Belenenses? Aqui o tens! Toma!


D. Os pronomes pessoais, nas formas de complemento direto e indireto, contraem-se numa única  forma quando se encontram em contacto.
Exs.:
. Entreguei o presente à Miquelina.Entreguei-lho. (lhe + o)
. Ofereci duas pauladas ao marciano.Ofereci-lhas. (lhe + as)




Formas de complemento direto
Exemplos


o
a
os
as
Formas de complemento indireto
me
mo
ma
mos
mas
A Maria ofereceu-me uma prenda.
A Maria ofereceu-ma.
te
to
ta
tos
tas
Ele sugeriu-te dois romances policiais.
Ele sugeriu-tos.
lhe
lho
lha
lhos
lhas
O filho flores à sua mãe.
O filho ofereceu-lhas.
nos
no-lo
no-la
no-los
no-las
O Onofre comprou-nos um melão.
O Onofre comprou-no-lo.
vos
vo-lo
vo-la
vo-los
vo-las
A Joana dedicou-vos uma música linda.
A Joana dedicou-vo-la.
lhes
lho
lha
lhos
lhas
A Penélope comprou uma boneca à filha.
A Penélope comprou-lha.



E. Exceções

                Existem algumas exceções às regras gerais atrás enunciadas.

                Uma dessas exceções prende-se, por exemplo, com o verbo “querer”.

                Atualmente, a forma de terceira pessoa do singular do presente do indicativo deste verbo é “quer”. No entanto, anteriormente foi “quere”, por isso, quando acompanhada do pronome pessoal átono, esta forma é recuperada:
. A Maria quer uma saia nova.A Maria quere-a.


Sem comentários :

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...