quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Correcção do teste (2.º)

Grupo I

Texto A

1. O sujeito poético mostra-se convicto de que existem forças ocultas (“Anjos ou deuses”) que agem sobre os homens, compelindo-os, retirando-lhes a liberdade, daí que se sintam perturbados e contrariados.

2. Ricardo Reis socorre-se de uma comparação entre os homens e os animais. Assim, ele defende que, tal como sucede com os animais, que são guiados pelo homem, os seres humanos são guiados pelos deuses.

3. O ser humano, de certa forma, é “superior” aos animais, visto que, enquanto estes são coagidos pelo esforço humano, que eles não compreendem e por isso resignam-se, aquele é também coagido por um ser superior que não compreende, mas que conhece e ao qual se submete, contrariado (“Para onde eles querem/E nós não desejamos” – vv. 11-12).

4. As entidades superiores agem sobre os seres humanos, manobrando o seu querer e anulando a sua liberdade. Operam, assim, no interior dos seres humanos, servindo-se da sua vontade e pensamento, que, embora contrariados, se submetem.


Texto B

1. c)

2. d)

3. a)

4. a)

5.
     1 - F
     2 - V
     3. - F
     4. - F
     5. - F
     6. - V


Grupo II

1.
a.
     «O poeta»: sujeito
     «é um fingidor»: predicado
     «um fingidor»: predicativo do sujeito

b.
     «A turma»: sujeito
     «considerou os professores criminosos»: predicado
     «os professores criminosos»: complemento directo
     «criminosos»: predicativo do complemento directo

c.
     «A Rita»: sujeito
     «chegou a casa»: predicado
     «a casa»: complemento oblíquo

2.
     a) Acto ilocutório directivo
     b) Acto ilocutório directivo
     c) Acto ilocutório compromissivo
     d) Acto ilocutório directivo
     e) Acto ilocutório expressivo

3. «Talvez  o surto da nossa Vanguarda literária esteja relacionado com o aparecimento do movimento modernista, sobretudo a partir da publicação em 1915 da revista Orpheu

Sem comentários :

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...