terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

"Metamorfose de Narciso"



“Metamorphose de Narcisse” é um quadro de Dali, terminado em 1937, e está exposto na Tate Gallery em Londres. Salvador Dali nasceu em maio de 1904 e desde a infância demonstrou interesse pelas artes plásticas, em 1921, entrou para a Escola de Belas Artes de São Fernando, localizada na cidade de Madrid. Porém, em 1926, foi expulso desta instituição, pois afirmava que ninguém era suficientemente competente para o avaliar.O trabalho dele chama a atenção pela incrível combinação de imagens bizarras, com excelente qualidade plástica foi um dos grandes nomes  influenciado pelos mestres do Renascimento.
 "Metamorfose de Narciso" é uma obra ambígua. Ao mesmo tempo que vemos Narciso, ele aparenta ser várias rochas, uma em cima da outra. Na mão que segura o ovo, símbolo da vida, vemos algumas marcas, como se fossem formigas, note-se que Dali tinha pavor de formigas devido a episódios da sua infância. A fenda no ovo combina com a sombra do cabelo de Narciso e também com a fissura na unha do polegar, dando à mão um caráter petrificado, surreal. Pode-se fazer uma leitura corporal, na qual cada parte do corpo tem uma correspondência emocional. Segundo essa ideia, a unha corresponde à autoconfiança do indivíduo, podendo ser considerada mais forte ou mais frágil, dependendo da constituição física. Nesse caso, e por ser o polegar simbolicamente o dedo da auto-afirmação, a fenda pintada pode ser lida como a morte da vaidade.
Além disso, pode ser ainda ligada à maneira com que Dali frequentemente se referia à sua personalidade: metade uma pessoa ordinária, metade um génio, o que reforça a ideia de que o quadro poderia  ser um auto-retrato.Na representação a  flor brota de um ovo, símbolo da germinação da vida e ao mesmo tempo do seu mistério e fragilidade. A fria e pálida magreza dos dedos de pedra faz lembrar o destino de todos os corpos sujeitos à erosão do tempo. Onde se extinguiu o dourado reflexo da vida, imergiu o solitário esqueleto, na presença do qual até o céu escurece, carregando a leveza das nuvens com uma armadura de chumbo.Mais atrás erguem-se silenciosas montanhas cuja lava arrefecida dá lugar a imponderáveis rugas de basalto.  O caminho de lama simboliza os passos do Homem e termina junto à água. À direita do quadro, no primeiro plano, existe um cão que rasga uma carne, quase uma carcaça, talvez representando a morte de algo que algum dia já foi belo.
Em conclusão, o quadro retrata a morte mas uma morte que faz brotar o novo, o belo. Aconselho toda a gente que goste de arte a apreciar esta obra, pois está muito bem concebida em termos de metáforas, e também porque é uma obra que, uma vez decifrada, nos faz refletir na vida e no nosso dia-a-dia.

Bibliografia:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Salvador_Dal%C3%AD#Biografia
http://www.artgalleryabc.com/next90.html

Sem comentários :

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...