domingo, 2 de junho de 2013

"Metamorfose de Narciso"

Para este trabalho escolhi analisar o quadro “Metamorfose de Narciso”. Esta obra é do artista plástico catalão Salvador Dalí que nasceu em Figueres, na Catalunha a 11 de maio de 1904 e faleceu a 23 de janeiro de 1989 com 84 anos. Dalí demostrou interesse pelas artes plásticas desde a infância e em 1921 entrou para a Escola de Belas Artes de São Fernando, em Madrid.
As obras de Dalí são cativantes por causa da sua incrível combinação de imagens bizarras, oníricas (relativas aos sonhos), e com excelente qualidade plástica. Em 1929, viajou para Paris onde conheceu Picasso, um dos artistas que mais o influenciou. No ano seguinte começou a fazer parte do movimento surrealista.
A Metamorfose de Narciso é um quadro do ano de 1937 que está exposto no museu britânico Tate Modern. Esta obra é ambígua pois quando vemos as rochas que estão em cima umas das outras ficamos com a sensação de que é a forma de uma pessoa mas também porque a fenda do ovo coincide com a sombra do cabelo dessa pessoa, que é Narciso. A fissura na unha do polegar dá à mão um caráter imóvel, surreal, adequado ao estilo de Dalí.
            O tema desta obra vem da mitologia clássica. Está relacionado com a lenda de Narciso. Este era um belo jovem que se apaixonou pelo seu próprio reflexo. Maravilhado, o rapaz ficou quieto como uma estátua a observar o seu reflexo e ao debruçar-se sobre a água acaba por morrer afogado. Depois de falecer os Deuses transformaram-no numa flor, daí o nome dado à flor narciso. Além da lenda, Dalí também usou como inspiração uma conversa que ouviu entre dois pescadores. Eles conversavam sobre um indivíduo estranho que tinha um "bulbo na cabeça", expressão alemã que significa doença mental. Isso deu-lhe a ideia de pintar o bulbo da flor surgindo através do ovo. Podemos ver umas formigas a subir a mão que segura o ovo. Estas representam a deterioração, a morte. 
Há quatro detalhes de a Metamorfose de Narciso que se destacam. O primeiro de todos é a figura de Narciso (o jovem que contempla a água obcecado pelo próprio reflexo); a mão que segura o ovo (esta parte do quadro representa o final trágico do conto, quando o jovem morre e se transforma num narciso); o ovo e a flor (o narciso que rompe a casca do ovo é considerada a parte mais brilhante da composição e a mais importante); a figura no pódio (um jovem isolado de costas viradas para os principais acontecimentos do quadro que parece totalmente absorvido enquanto se contempla a si mesmo). Segundo Salvador Dalí, esta pintura era a o melhor produto do seu método paranoico-crítico. 
Na minha opinião esta obra é uma obra fascinante e intrigante porque à partida não sabemos qual é a sua mensagem. Para além disto há quem diga que este quadro é um auto-retrato de Dalí, o que o torna ainda mais interessante de analisar. Podemos ver neste quadro um “mundo” onde os sonhos são reais, um “mundo” surreal.

Bibliografia:




  
Liliana L.

Sem comentários :

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...