quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

A farsa no século XVI


            A farsa, no século XVI, era um género dramático que permitia uma grande variedade temática, privilegiando-se a de natureza cómica, e bastante flexibilidade no que dizia respeito às questões formais, como as unidades de tempo e de espaço, e à divisão do texto em cenas ou pausas.
            As suas principais características eram ase seguintes:

Género literário

Farsa
. Variedade temática:








. Personagens:







. Estrutura interna:


. Estrutura externa:


. Dimensão satírica:



. Outras características:

. luta entre forças opostas;
. relacionamento humano familiar e amoroso;
. oposição dos valores tradicionais e convencionais a valores individuais e pessoais;
. recurso frequente ao equacionamento de um triângulo amoroso.

. número reduzido de personagens;
. abundância de tipos sociais característicos da época;
. presença de uma personagem redonda que evolui, psicológica e moralmente, ao longo da peça.

. delineamento de uma intriga com um nó, desenvolvimento e desenlace.

. ausência de divisão em atos e de marcação de cenas.

. presença de sátira, fonte de cómico;
. subversão da ordem social estabelecida através da sátira.

. despreocupação com as unidades de tempo e espaço;
. utilização de poucos recursos cénicos;
. recurso frequente a uma linguagem de conotações eróticas.


Sem comentários :

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...