sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Classificação das cantigas de amor

* Cantigas de mestria: são cantigas sem refrão; são as mais perfeitas. Os versos têm sete a dez sílabas e o número de estrofes raramente ultrapassava as três ou quatro.
            Seguem alguns formalismos, denotando a influência provençal:
                        . o dobre;
                        . o mordobre;
                        . a finda;
                        . a atafinda;
                        . o verso perdudo.
            Nas cantigas de mestria, podiam aparecer subgéneros:
                        . prantos: poesias de carácter fúnebre para exprimir a dor de uma morte;
                        . tenções: retratam um diálogo entre dois trovadores.

* Cantigas de refrão: no fim da cada estrofe, repete-se um ou mais versos, à laia de estribilho, à maneira das cantigas de amigo. São mais espontâneas, mais naturais, mais líricas, menos artificiais.

* Descordos: são cantos magoados, de variedade métrica, estrutura estrófica diferente e de difícil compreensão. Existem apenas três nos nossos cancioneiros. Exprimem os conflitos do amor, um amor tumultuoso, revolto, em convulsão no peito.

* Tenções: cantigas dialogadas entre trovadores, em que um procura contrariar o outro.

* Prantos / lais: desabafos plangentes com lágrimas de coita de amor.


            Todos estes subgéneros são de origem provençal.

Sem comentários :

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...